quinta-feira, 29 de abril de 2010

GUNS N' ROSES


* "Ninguém tem uma vida com 24 horas de sexo e felicidade." - Steven Adler, Guns N'Roses * "Eu sinto pena dele, porque ele não pegou nada do dinheiro que pagamos a ele. Foi tudo pra pessoas que fizeram dele esse monte de heroína ambulante. Ele ainda está viciado, e eu ainda amo ele, mas ele vai morrer. Tudo isso é só uma merda dum 'arranjo entre cavalheiros', nada mais." - Duff Mckagan , falando sobre o acordo que o grupo fez com Steven Adler para que ele desistisse do processo que moveu contra a banda. * "Não se falam há anos. Mas é uma relação na qual as pessoas vêem o Axl como vilão. Se algo deu errado, de quem é a culpa? Se o Slash faz algo, ninguém fica sabendo, como o Snakepit, o que tem demais com esse álbum? Não está em nenhuma parada da MTV, ninguém compra, mas o Slash 'é a chave do GnR', 'o Guns é o Slash'.... Ele era um bom guitarrista, mas também não é assim, o Axl não precisa ser o culpado de tudo. O Slash usa drogas e esteve no hospital por overdose, nada demais, já se fosse o Axl ... Por exemplo, um dia desses eu estava em casa quando vi alguém correndo no jardim, o quarto do Axl é em cima do meu, então pensei que a pessoa pudesse ter pulado da janela do Axl e corrido. Fui até ao quarto dele, bati e ninguém abriu, porque o Axl estava no banho e não ouviu, mas eu chamei a polícia. Quando eles chegaram, vieram junto os para-médicos e eles falaram que vieram socorrer uma vítima de overdose.
Eu nunca falei em overdose, eles supuseram que por ser a casa de Axl Rose, a emergência se tratava de overdose. Slash sofre overdoses e ninguém fica sabendo. O Slash queria acabar com o Guns, levar a banda para bares. O Axl falou para ele que não era possível, que eles não poderiam tocar para mil pessoas enquanto atraiam um público de 200.000 pessoas. Mas se o Axl tivesse concordado com o Slash, a culpa pelo fracasso da idéia iria cair sobre o Axl." - Fernando (filho de Beta Lebeis, assistente pessoal de Axl) falando da relação de Axl com Slash * “Tem sido maravilhoso, porque, ultimamente, eu tenho conversado muito com eles. Eles sentem o mesmo que eu – 'é apenas uma questão de Axl ter vontade de fazer e estar pronto para isto. Mas todos nós queremos isso – ter uma boa reunião e tocar para todo mundo. Terminar o que nós começamos a fazer. É isso o que eu quero fazer. E Slash, Izzy e Duff – até mesmo Axl, mas ele quer lançar o seu material. Eu não sei.... Não posso dizer.” - Steven Adler, sobre o seu atual relacionamento com os integrantes originais do Guns N´Roses * "Minha vida se enriqueceu desde que me tornei sóbrio.
Quando se é jovem, se pensa que está perdendo algo ao ficar uma noite sem se chapar, e na realidade conheço pessoas que ainda pensam assim, mesmo estando na faixa dos 30 ou 40 anos, o que é realmente triste" - Duff Mckagan * "Todos falam de versão do Axl e versão do Slash. Não há versão do Axl, porque o que ele fala é a verdade. O Axl não mente, ele só fala a verdade. Mas o Slash queria as músicas do Snakepit no álbum do Guns, e o Axl não, então ele passou a dificultar o trabalho. Ele não aceitava outra música que não fosse a dele." - Fernando (filho de Beta Lebeis, assistente pessoal de Axl) falando da saída de Slash da banda * "Vivo a vida plenamente. Aprendo muito, leio e sou fascinado pelas coisas. Pratico kickbox, ando de jet ski, piloto motos. E mais importante, tenho duas pequenas garotas e uma esposa que representam tudo para mim". - Duff Mckagan * "Eu era guitarrista, mas ao contrário do que estava em voga na época, não me inspirava em Yngwie Malmsteen nem Eddie (Van Halen), e sim em Johnny Thunders (do New York Dolls). Daí Slash publicou um anúncio no jornal dizendo que precisava de um baixista e eu me candidatei ao cargo". - Duff Mckagan * "É como se toda vez que ele tentasse fazer algo, alguma coisa desse errado. Como se estivesse tudo saindo bem, mas de repente o cara que é responsável por algum detalhe técnico cometesse um erro, por exemplo. Digo isso porque estive com ele no estúdio, e é incrível, parece que algo tenta tirar ele desse projeto. Eu ouvi o novo cd, e posso dizer que todas as músicas são lindas, não existe uma sequer faixa que esteja lá para preencher espaço apenas. O cd deve ter 16, ou 17 faixas e todas são muito fortes. Não digo isso porque trabalho para ele, ou porque sou seu amigo, meus amigos por exemplo, quando ouvem alguma faixa, sempre elogiam. Catcher in the Rye, This I love, That's call the Blues, Chinese Democracy, todas são belíssimas." - Fernando, (filho de Beta Lebeis, assistente pessoal de Axl), explicando os sucessivos atrasos do album "Chinese Democracy" * "Sinceramente vocês devem saber mais detalhes sobre o disco do que eu. Foi o trabalho que começamos a fazer em 1994, mas naquela época a banda já havia se despedaçado, e de fato nada acabou acontecendo". - Duff Mckagan, falando sobre o atraso no lançamento do "Chinese Democracy", novo álbum do Guns N`Roses que está sendo prometido há mais de uma década * "Slash: Eu o conheci, ainda era criança. Ele tem uma voz...diferente. Eu não tenho amizade com ele, ele me conhece, sabe que sou filho da Betta... Duff: Acho que o vi três ou quatro vezes, mas nunca conversamos mais profundamente. Ele parece ser um cara legal. Matt: Não gosto. Ele se acha, pensa que é melhor do que é, na realidade. Buckethead: É super legal, parece uma criança , é a pessoa mais carinhosa e gentil que conheço, fora o Axl. A gente é super amigo. Brain: Ele é ótimo. Fink: Ele foi criticado ao tocar 'Sossego', mas você conhece outra pessoa que faria isso? Ele aprendeu aquela música um dia antes do show. O Axl...o Guns adora o Brasil, sentem uma conexão com os fãs, amam mesmo, sem falsidade alguma. O Robin percebeu isso e viu o Brasil da mesma forma. Aprendeu sozinho a tocar e a cantar." - Fernando (filho de Beta Lebeis, assistente pessoal de Axl) caracterizando, segundo ele, cada elemento do GN`R * "O megasucesso do Guns nunca se repetirá, estávamos no lugar certo, no momento certo para uma geração que precisava daquilo. As pessoas perguntam se o Velvet terá o mesmo êxito do Guns, mas isto não vai rolar com ninguém. Quem sabe em dez anos seja necessário novamente uma banda de Rock que desempenhe o papel que tivemos". - Duff Mckagan * "O Guns N`Roses se tornou algo muito grande. Acho que foi isto que aconteceu - ficamos tão grandes que explodimos. Este é um ponto altamente positivo sobre o Velvet Revolver - fazemos sucesso mas nada tão grandioso, ainda é possível manter o controle das coisas". - Duff Mckagan * "Eu não sei mais o que as pessoas esperam de nós. Elas parecem estar esperando pra ver o que nós faremos em seguida. Eu sinto como se estivesse dentro de um circo, atuando, todos os malditos dias" - Slash *
"Eu queria continuar a gravar e a excursionar, mas ele (Axl) pretendia outras coisas - até hoje não sei o quê. Quando ouvi Oh My God', entendi pela primeira vez o problema entre nós dois" - Slash * "Todo mundo está intelectualizando o Guns N' Roses, mas em algumas das músicas de Axl e sobre alguns dos relacionamentos entre os músicos não há nada pra se analisar." - Slash * "Eu escrevi um artigo na 'Rolling Stone'. Eu disse no começo dele que existiam três coisas sobre as quais eu não queria falar: Axl, meu passado com as drogas e outras bandas. Então, quando a revista saiu, a primeira coisa que ela diz é: 'Slash, falando sobre Axl Rose e as drogas'." - Slash * "A indústria fonográfica é uma bosta. Os negócios fonográficos fizeram da música algo muito sem criatividade, sem sentimento, simplesmente sem musicalidade. Não existe mais quase nenhuma solução. Nós éramos uma grande chance quando nós 'acontecemos'" - Slash * "Slash é usualmente desligado de qualquer coisa que aconteça em sua vida porque ele não pode controlar isso. Você lhe dá um lugar pra ensaiar todo dia, ele fica bem. Slash é o cara mais legal do mundo" - Axl Rose * "O Guns nasceu inocentemente. Fundamos o grupo por amor à música e mantivemos essa mentalidade. Nunca deixamos a industria musical nos influenciar. No entanto, durante a turnê dos discos Use Your Illusin I e II, nosso relacionamento com Axl começou a ruir. Ele queria algo diferente da natureza da banda." - Slash , falando sobre o que aconteceu entre ele e Axl. * "Com a gente, é realmente uma relação de sangue, suor e lágrimas. A gente têm grandes momentos quando estamos tocando e passamos por um monte de momentos ruins" - Slash * "Existem momentos pra se drogar e existem momentos pra beber e existem momentos pra fazer o que você tem que fazer...E você tem que perceber a diferença" - Duff Mckagan * "Muitas pessoas tiveram problemas conosco porque são invejosas. Nós tocamos mais pesado que a maioria." - Slash, Guns N'Roses * "Vivemos por nosso público. Se não for assim morremos de fome." - Slash, Guns N'Roses * "Eu nunca serei um daqueles caras que tocam um solo maior do que deveria ser. Meus solos complementam a música. A música é o mais importante, não o solo." - Slash, Guns N'Roses * "...Não me levem a mal. Só eu sei como fui tratado e o mais importante é que sei como eles tratavam os outros, ninguém é obrigado a trabalhar à força. Se Slash e Matt faziam as coisas mais às claras, o Duff ficou na retaguarda por razões que nunca entendi, é isso. Se os fãs nos desejam ver juntos, eu não posso fazer nada pois não desejaria reviver o que passei nem para o meu pior inimigo. Sou quase uma pessoa livre e se alguém tem dificuldade para entender isso, é uma pena porque vai ter que se acostumar com essa realidade." - Axl falando do que se sucedeu com o GN`R, a separaçao dos membros da banda e de uma possível reunião * "Muitos só falam sobre como os músicos do Guns se odeiam mas o que existe de verdade é que todos têm muito orgulho de estar no Guns e de participar de uma banda profissional e que está empenhada em dar o melhor de si." (Axl) * "Tento acertar as coisas fazendo um bom show e explicando o maximo que posso sobre o que vai na minha cabeça e porque não estávamos em cena... Se eu não ligasse a mínima, iria lá e faria um show vagabundo. Mas eu me importo mesmo, e também ligo bastante pra mim, para não fazer isso." - Axl Rose, Guns N'Roses * "Fui infernal para as mulheres da minha vida, e elas foram infernais comigo." - Axl Rose, Guns N'Roses * "Apenas estou feliz por Axl estar por aí novamente fazendo o que sabe fazer. Durante um longo tempo, não sabíamos o que estava acontecendo com ele, mas estou ansioso para ouvir o álbum. Ouvi uma faixa ao vivo, supostamente uma das novas, mas faz tanto tempo que nem me lembro como soava". - Slash dizendo estar ansioso por ouvir "Chinese Democracy" * “Bem, foi ótimo. Matt Sorum e aquele outro cara, aquele cantor, o tal de Scott Weiland [do Velvet Revolver] – eles são o porquê do Slash ter ido mas não ter tocado, pois eles o chamaram e ficaram todos preocupados, dizendo, ‘o que você vai fazer lá?’, agindo de forma infantil, como se fossem crianças. Eu pensei, ‘Que porra é essa? Só por ele tocar algumas músicas.’ Eles diziam ‘Oh, nós não queremos que você faça isso’. Foi uma loucura.” - Steven Adler, sobre a quase-reunião recente do Guns N`Roses no Key Club, em West Hollywood, Califórnia * “Nunca tive oportunidade. Eu fiquei de fora dessa. [Matt Sorum] teve muita sorte. Ele tirou a minha vida, praticamente. Slash e os outros caras apenas deram para ele tudo em que eu trabalhei.” - Steven Adler, sobre o facto de os Guns N`Roses terem tocado na America do Sul * "Slash não tocava 'Sweet Child o' Mine' desde que saiu do Guns n' Roses. Ele teve que reaprender as notas com nosso trio de guitarristas, Yayo, Sheldon e Rich. Depois de uma primeira tentativa frustrada, que deixou todos nós - inclusive Slash - coçando a cabeça, Slash conseguiu acertar na segunda tentativa. Lá estava eu, um baterista amador, assistindo Mr. Saul 'Slash' Hudson reaprendendo a tocar a trilha sonora da minha juventude, uma das melhores 'power ballads' já gravadas. Quando tocamos a música para valer, nem tudo funcionou à perfeição. Um dos câmeras da equipe do Fantasy Camp resolveu 'estacionar' bem na minha frente no meio da música. Eu tive que dar um chega para lá nele para poder reestabelecer o contato olho-no-olho com Slash. Afinal, naquele momento Slash não era mais 'Slash', o ícone. Ele era o guitarrista da minha banda! Como baterista, eu precisava enxergá-lo para não perder as deixas da música. E o solo de Slash foi simplesmente perfeito." - jornalista e baterista amador Liam Gowing, do jornal norte-americano que fez um relato no site do jornal sobre como foi tocar com Slash * “Todos estão ótimos, a turnê européia foi uma ótima maneira de juntar toda a banda. Eu tinha tocado com eles apenas uma semana antes do início da turnê. Os fãs foram bastante calorosos e recebemos muito carinho... Tivemos a chance de sentir várias músicas... Axl está ótimo, está melhor do que nunca, todos que estiveram nos shows irão concordar”. - Bumblefoot, novo guitarrista dos Guns N`Roses * "Sobre uma reunião da formação clássica do Guns, seria muito legal, uma situação interessante para todos. Teria que ser em uma situação com o clima legal, pra que todo mundo de sentisse bem fazendo isso. Sabe? Eu acho que isso pode alcontecer um dia, de algum modo, por causa do fato de estarmos todos vivos. Porém, está não é uma coisa com a qual eu gasto meu tempo sonhando. No que diz respeito a música. eu tenho uuma grande banda e amo o que eu faço" - Duff McKagan, baixista do Velvet Revolver, acha que não é impossível que o Guns N' Roses volte a se reunir * «Há muitos executivos envolvidos em tudo o que cerca "Chinese Democracy". Não é apenas o Axl a dizer "não vou lançar isso" (...) é como se a situação situação fosse além do seu controlo» - Sebastian Bach acerca do adiamento do album "Chinese Democracy", criticando aqueles que têm acusado unicamente Axl Rose como o responsável pelo adiamento do registro Andando por Los Angeles, um dos membros da equipe GN'R Online BR encontrou Tony Monson, gerente do estúdio da Geffen desde 1981, que presenciou todo o processo de gravação do GUNS N'ROSES desde seu primeiro disco, "Appetite For Destruction", até meados do "Chinese Democracy". Conseguimos uma entrevista com ele, que nunca antes havia falado com a mídia e revela coisas exclusivas. Segue abaixo a entrevista: O que passou pela sua cabeça quando você viu o Guns N' Roses pela primeira vez? Tony: "Eu pensei que fosse uma bandinha, apenas um bando de garotos drogados e bêbados sem talento e experiência alguma. Porém, logo que escutei os primeiros riffs de 'Welcome To The Jungle' eu fiquei arrepiado". Como foi para o estúdio (desconhecido na época) ter gravado o "Appetite For Destruction"? Tony: "Todas as pessoas que se envolveram neste disco ficaram impressionadas logo quando o 'Appetite' começou a ser vendido. Logo outras bandas também quiseram gravar com a gente, foi muito importante ter gravado este disco em nossa casa". Como foi o envolvimento com drogas nas gravações dos discos? Tony: "Rolou muita intriga, principalmente no processo de gravação do 'Lies', aonde o Steven e o Slash chegavam totalmente bêbados e caídos. Axl não era diferente, adorava drogas, mas na hora de gravar sossegava e quando encerrava a sessão de gravação sentava em um sofá no fundo do estúdio, pegava uma garrafa de tequila e cheirava um pouco. Izzy e Duff preferiam os cigarros, fumavam um atrás do outro, o estúdio fedia e ficava incômodo pra quem estava lá". Como você resume estes cinco caras que formaram o Guns N' Roses? Tony: "Axl era muito rebelde porém era responsável, Slash sempre quieto, dando prejuízos e quebrando as nossas guitarras às vezes, Adler muito simpático e carismático, mas quando sentava à frente da bateria virava uma fera das baquetas, Duff sempre feliz com seu cigarrinho, dava muitas risadas junto com o Adler. O Izzy é um cara totalmente diferente da banda quanto ao modo de se comportar em estúdio, ele ficava todo sério nas gravações". Em que período começaram as gravações do "Chinese Democracy"? Tony: "Em 1998 quando o Axl apareceu com uma banda nova, com letras diferentes dos discos anteriores e dizendo que gostaria de fazer um rock com um pouco de Nine Inch Nails". Quando realmente saiu a primeira música totalmente pronta do "Chinese Democracy"? Tony: "Foi em 1999 quando nós sentamos e escutamos uma versão totalmente pronta de 'Chinese Democracy'". É realmente verdade que o "Appetite For Destruction" foi regravado? Tony: "Sim é verdade, foi em fevereiro de 2002, quando o Axl chegou para nós e disse que gostaria de lançar um box com todos os discos da banda gravados pelo novo Guns N' Roses". Para finalizar, gostaria de dizer algo? Tony: "Claro, foi uma honra ser entrevistado por um jovem que é fã de uma banda histórica Lembrando que a última vez que a banda passou por este estúdio foi em 2003". Por GN'R Online BR O guitarrista Slash concedeu uma entrevista ao jornal Folha de São Paulo, e falou, dentre outras coisas, sobre seu novo album, seu estilo eclético (já trabalhou até mesmo com Michael Jackson) e sobre a possibilidade de voltar a tocar no GUNS N' ROSES. Veja um trecho: Neste seu primeiro álbum, você chamou um monte de gente para participar, como Ozzy, Chris Cornell, Fergie, Iggy Pop. Como esses nomes surgiram? Você pensou neles antes de compor as músicas? Slash "Não, eu escrevi as músicas antes e, então, pensava em quem poderia ficar bem cantando. Assim surgiram os convites. A escolha dos cantores foi feita a partir das canções". E teve alguém que você chamou e não quis participar? Slash: "Apenas uma pessoa não pode, por causa de burocracias de gravadoras. E um cantor que eu chamei não soou bem com a música, então convidei outra pessoa". Você consegue se ver tocando novamente no Guns N' Roses? Slash: "Duvido, realmente duvido muito que isso aconteça. Faz muito tempo... É uma ideia interessante, divertida, mas se fosse algo fácil de se fazer, eu já teria feito faz tempo, não? Nem teria saído da banda".